07 outubro, 2007

Minhas últimas idas ao cinema foram (casualmente) pra ver filmes brazucas.



Me interessou muito mais a figura incrível de Santiago do que o mea culpa de João Moreira Salles ao modo como dirigiu o ex-mordomo de sua família, 14 anos atrás. Como o próprio documentarista falou: "É preciso ver as coisas com uma certa desconfiança". Lindo filme.



Querô me surpreendeu, sabia pouco a respeito quando entrei no cinema. O diretor Carlos Cortez trata com muita suavidade um drama cada vez mais banal como o da infância interrompida pelo abandono e a violência. A fotografia do Hélcio Nagamine é inventiva, moderna, super ágil. Os dois já fizeram vários documentários juntos, e o elenco é essencialmente formado por não-atores. Ou seja: apesar de ficção, tudo em Querô parece muito verdadeiro. Me tocou, em diferentes sentidos.



Teria deixado pra assistir a Primo Baslio em DVD, não fosse o diretor de fotografia do filme um velho conhecido e ótimo profissional. Legal ter visto em grande formato. O filme é tecnicamente muito bem-feito. Não falo só da fotografia do Nonato Estrela mas também do som, figurino, da direção de arte. Glória Pires e Débora Falabella estão ótimas nos papéis principais. Se parece um capítulo de novela? Em muitos momentos, sim. Mas é cinema.


 
Por Sônia Guimarães às 13:48    


7 Comments:


At 07 outubro, 2007, Blogger Das Montanhas

O que vem a ser uma fotografia "super ágil". Fiquei intrigado. Nunca vi este termo aplicado e gostaria de aprender.

 

At 08 outubro, 2007, Blogger Sônia G.

Hehehehehe.... Eu me referia à câmera - que também é do diretor de fotografia. O filme tem umas seqüências nervosas que ficaram ótimas. bj, querido, saudades, viu??

 

At 09 outubro, 2007, Blogger Das Montanhas

Hehehe, uma vez esclarecida minha dúvida (gracias) te digo que tb tenho muitas saudades desta gaúcha sapeca. Caraca, acho mais provável um dia vir a Kelly aqui do que vc - sua chata adorável. Ontem vi o Roda Viva com o José Padilha, Achei-o super bem articulado. Quem bom que as novas gerações de cineastas (não sei se todos) possuem um background consistente. E como vai a gestão Markun?

 

At 09 outubro, 2007, Blogger Das Montanhas

Outra coisa, estou hiper desatualizado de cinema em geral (será que estou perdendo tanto assim? Vc virou "O Cheiro do Ralo"? � legal? E o que teria de t�o interessante neste "Santiago". Quem sabe a Cultura poderia fazer uma mat�ria sobre o Festival Internacional de Audio Visual aqui de Atibaia que foi criado em parceria com um tal festival de Contis, na Fran�a. Beijos, beijos, beijos.

 

At 10 outubro, 2007, Blogger Sônia G.

Afonso, qdo rola esse festival em Atibaia? Vi O Cheiro do Ralo, sim, e gostei muito. Quando à gestão do Markun, não tenho queixas, agora além de editora do Metrópolis, também sou locutora da emissora (faço as chamadas, por favor, ouça, sim?). bjoca,

 

At 10 outubro, 2007, Blogger Das Montanhas

Que chic amiga, a voz da Cultura. O festival rola em janeiro.

 

At 11 outubro, 2007, Anonymous Beth_Alo

Entrei aqui pra falar de cinema mas to pasma com essa notícia, Soninha, que legal!!! Vou ouvir hoje! Sobre cinema... Acho que Primo Basilio teria ficado maravilhoso, com um elenco singular. Não foi o caso, de todos ali só a Débora Falabela parecia no lugar certo. Bjosssss.