20 outubro, 2008

Noite de sábado: festa no prédio em frente. Manhã de domingo: britadeiras furando o asfalto no quarteirão. Essa permanente atividade que me cerca com certeza tem algo a ver com a escolha recorrente de filmes e/ou romances ambientados em cenários remotos e isolados, intocados e inóspitos.

Liverpool nos leva ao interior da Patagônia argentina, mais precisamente até o meio do nada. The middle of nowhere. O filme tem o ritmo da ambiência, ou seja, quase não há ação. Fascinada pelas locações, não tirei os olhos da tela. Mas saí do cinema com a impressão de que anda faltando inspiração ao diretor Fernando Alonzo. Um argumento promissor, em roteiro frágil.




Com o intrigante A Princesa do Nebraska tive a mesma impressão: a aventura da jovem e grávida chinesa através do submundo e pela colônia oriental de São Francisco (na Califórnia) antecipava mais que uma releitura menor de Lost in Translation. Mesmo assim, um filme pontuado por belas tomadas.




Melhor do que assistir a um bom filme, é reencontrar amigos queridos. Como Bárbara Oliveira, que está de volta a Sampa após looooonga temporada em Floripa.

 
Por Sônia Guimarães às 00:03    


2 Comments:


At 20 outubro, 2008, Blogger Das Montanhas

Oi Sônia, que horas vc sai da emissora ? De repente o café or something else different podia ser depois do seu horário. No aguardo (rs rs rs )

Bjks

 

At 21 outubro, 2008, Blogger Sônia Guimarães

Eu saio do trampo por volta das 10 da noite (o programa entra no ar às 21h40, nunca saio antes disso). Até semana que vem estou saindo do trabalho direto pro cinema (por conta da Mostra). Mas, na primeira semana de novembro, já to free... bj!