02 julho, 2006
Alfredo Volpi deve ter sido um cara muito feliz. É o mínimo que me ocorre diante da alegria e frescor de suas têmperas. Poucas vezes uma exposição me tocou tanto quanto a que está montada no MAM de São Paulo - e que acaba dia 5. Se você mora em São Paulo, corra pra lá.


Saí do Teatro Faap sem saber se gostei ou não de Ricardo III adaptada e dirigida por Jô Soares. O elenco inteiro (tem gente à beça no palco) parece pouco à vontade num dos mais encenados textos de Shakespeare. A exceção é Glória Menezes que, do alto de sua experiência, só precisou fazer o que aprendeu em décadas de trabalho.


Irresistível o som do grupo belga Vive La Fête. Sob medida pras pistas, dancei muuuuito. Só me incomoda esse hábito que os paulistanos têm de marcar tudo pra depois da meia-noite, tanto faz o dia da semana. O show começou às 2 da manhã! By the way, disciplina é ir a uma festa com bebidas e comidinhas free, e consumir apenas: 1 cerveja long-neck, 1 energético, e meia garrafinha d'água... Não fosse assim e provavelmente eu não tinha chegado inteira ao trabalho no dia seguinte.


Odair José, quem diria, de brega virou cult. Tá na área, até como estrela de comercial pra cartão de crédito. Mas a voz continua a mesma, como dá pra ver na matéria feita pelo Cunha Jr. - que Fabinho Rodrigues e eu editamos.

 
Por Sônia Guimarães às 20:40    


1 Comments:


At 14 julho, 2006, Anonymous beth alo

Soniaaaaaa! Gostei dessa materia do Odair... me liga quando puder, bj, Beth